Sábado, 23 de Setembro de 2017

MPF
Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 07h:55

PGR

Rigidez com os açougueiros

Redação

André Dusek

Procuradora-geral da República, Raquel Dodge

A futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que assume o cargo na semana que vem, será rígida na eventual reavaliação da delação dos executivos do grupo J&F, que foi suspensa por ordem do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). A gestão de Rodrigo Janot, o atual procurador-geral, corre quanto o tempo nesta última semana para terminar a investigação da colaboração.

Se conseguir, os benefícios concedidos com a delação podem ser – de acordo com fontes da atual gestão – totalmente cancelados ou reduzidos, e as penas, aumentadas. Integrantes da equipe de Raquel Dodge, contudo, afirmam que a futura procuradora-geral sempre foi crítica do perdão total concedido ao empresário Joesley Batista e seus executivos.

 

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO