Quinta-Feira, 21 de Junho de 2018

TRF
Segunda-Feira, 11 de Junho de 2018, 08h:28

BENEFICIOS

TRF4 foi um rápido para condenar Lula, mas é devagar para julgar recurso do petista

Esmael Moraes

Reprodução

Lula

Na ânsia de condenar Lula, o desembargador do TRF4 Leandro Paulsen leu em fevereiro do ano passado 250 mil páginas em apenas 6 dias. Correu como um coelho porque tinha pressa de prender o petista. Agora o mesmo tribunal segue em passos de tartaruga para julgar um recurso que poderia beneficiar o ex-presidente da República.

Já o desembargador João Pedro Gebran Neto levou 36 dias para concluir a análise da condenação em 1ª instância prolatada pelo juiz Sérgio Moro. Ou seja, a sentença contra Lula saiu na incrível velocidade de 42 dias.

Dito isto, a defesa do ex-presidente acusa os desembargadores de fazer corpo mole porque eles levaram 42 para ler o recurso de Lula — o mesmo tempo que utilizaram para mandar prendê-lo.

O julgamento do recurso no TRF4 é a conditio sine qua non para que o mesmo suba ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A defesa quer que as apelações contra a condenação, destinadas ao STF e ao STJ, tenham efeito suspensivo sobre a execução de pena, o que resultaria na libertação de Lula.

Lula é mantido preso político na Polícia Federal de Curitiba há 65 dias. Ele rejeitou recente proposta para desistir da candidatura em troca de sua soltura. O ex-presidente é líder nas pesquisas sobre a corrida presidencial.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO