Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019

Judiciário
Sábado, 04 de Maio de 2019, 07h:17

MINAS GERAIS

Aúdio da PF: desembargador negocia cargos

Reprodução

Polícia Federal

Gravações mostram desembargador de Minas Gerais negociando cargos públicos para o filho e a mulher

Alexandre Victor de Carvalho é investigado pela Polícia Federal por tentar obter vantagens indevidas. A mulher dele, Andreza Campos, foi nomeada para um cargo na ALMG com um salário de R$ 8 mil.

MG2 — Belo Horizonte

Conversas gravadas pela Polícia Federal entre o desembargador Alexandre Victor de Carvalho e o ex-procurador-geral da Câmara Municipal de Belo Horizonte, Augusto Mário Menezes Paulino, mostram o magistrado negociando cargos públicos para o filho, Guilherme Souza Victor de Carvalho e para a mulher, Andreza Campos Victor de Carvalho, ambos advogados.

A TV Globo teve acesso às denúncias publicadas no jornal Folha de São Paulo.

Leia trechos das transcrições das gravações feitas pela PF

Alexandre Carvalho: “Na Copasa não daria?”

Augusto Paulino: “Não... lá é empresa, sociedade, né? De economia mista, salvo engano”.

Alexandre Carvalho: “Na Cemig é melhor porque, por exemplo, na Cemig, ela indo pra lá, ela não tem horário. Na Copasa ela vai ter que bater ponto, vai piorar”.

As gravações ainda mostram o ex-procurador alertando o desembargador sobre a prática de nepotismo cruzado.

Alexandre Carvalho: “Não, pra mim não vai dar nada”.

A mulher do desembargador, Andreza Campos, acabou sendo nomeada para um cargo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), de acordo com publicação no Diário do Legislativo de 18 de novembro de 2015, com um salário de R$ 8 mil.

O filho do desembargador foi nomeado no fim de 2015 para um cargo na Câmara Municipal. O salário era de R$ 9,3 mil.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO